Em mais um período chuvoso, Semae orienta uso correto da rede de esgoto

Com um aumento de aproximadamente 20%, em média, dos casos de vazamento de esgoto durante os meses de chuvas intensas, o Semae mais uma vez orienta os consumidores para o uso correto da rede e a necessária separação dos sistemas de drenagem de águas pluviais e de esgotamento nas residências. As tubulações não podem “se misturar”. O grande volume de chuva no verão provoca sobrecarga na rede de esgoto (que não é projetada para receber água pluvial) e, consequentemente, extravasamentos nas ruas.

O normal é que as calhas e os ralos do quintal conduzam a água da chuva para as guias nas ruas, de onde segue para as bocas de lobo e galerias e, na sequência, até os córregos e rios da cidade.

Essas tubulações que partem das calhas e dos ralos do quintal não podem ser ligadas no esgoto. Se isso acontecer, vai provocar problema na rede de esgotamento, principalmente em dias de chuva intensa.

“Os chamados para reparos de vazamento de esgoto aumentam 20% nessa época do ano, em média. São transtornos para os moradores e também para o Semae, pois demandam um volume maior de manutenção e deslocamento de equipes, o que aumenta o tempo de resposta e os custos operacionais”, explica o diretor do Departamento de Esgoto da autarquia, Anderson Amorim.

O aumento das chuvas no início do ano também eleva a necessidade de manutenção no sistema de esgoto devido ao acúmulo de terra que é levada pelas águas pluviais para dentro das tubulações.

Misturar as redes pode ocasionar vazamentos em tampões de rede de esgoto – visíveis nas ruas e avenidas após dias chuvosos – e entupimentos de tubulação.

Outro tipo de ocorrência comum é o retorno de esgoto para dentro das casas: isso acontece porque o volume de chuva que chega às tubulações de esgotamento é muito grande, superando a capacidade de vazão do sistema de esgoto e voltando para dentro das residências, causando transtornos aos moradores.


Uso da rede
Outro problema muito recorrente é o lançamento de materiais sólidos no sistema de esgoto. É comum as equipes responsáveis pela manutenção retirarem das tubulações vários detritos como gordura solidificada, preservativos, fraldas, lenços umedecidos, pedaços de pano e excesso de papel higiênico, por exemplo. São materiais que jamais poderiam estar na tubulação de esgoto.

O resultado também são entupimentos, vazamentos, retorno de esgoto para dentro dos imóveis, erosões e mau cheiro nas ruas e bloqueios no trânsito para os serviços de reparo, além de despesas para a autarquia devido ao deslocamento de funcionários e equipamentos.

O mau uso da rede também afeta e demanda reparos nas estações elevatórias e cestos de gradeamento (estruturas que bloqueiam a passagem do material sólido nas unidades de bombeamento e de tratamento).

Nas ações de reparo, são utilizados os caminhões combinados da autarquia, que fazem a sucção dos detritos acumulados na rede e o jateamento com água sob pressão, no interior dos canos.

Esta solução é apenas emergencial. Para resolver o problema de forma definitiva é necessário que os responsáveis pelos imóveis verifiquem o correto escoamento de água de chuva e não joguem lixo no vaso sanitário.

Semae registra vandalismo e furto em estação de esgoto e trabalha para reparar danos

O Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) registrou, na tarde desta sexta-feira (01/12), um caso de vandalismo e furto de equipamentos elétricos na Estação Elevatória de Esgoto Nova Mogi, no Caputera. A autarquia trabalha para restabelecer o mais rápido possível o funcionamento da unidade, buscando normalizar a prestação de serviços à população, pois quando uma elevatória do sistema de esgotamento sofre danos e para de funcionar, a rede fica sobrecarregada e, com isso, podem acontecer pontos de entupimento na tubulação e vazamento de esgoto na rua.

O diretor-geral do Semae, Francisco Cochi Camargo, lamenta mais uma vez este tipo de ocorrência. “Atos de vandalismo e furto causam grandes prejuízos e danificam estruturas e equipamentos essenciais para a prestação de serviços. Nossa equipe está trabalhando para retomar o funcionamento da elevatória o mais breve possível”, afirmou.

A autarquia está fazendo um levantamento dos danos causados e materiais furtados e registrará boletim de ocorrência. A elevatória é equipada com alarme. O Semae também pede o apoio dos moradores vizinhos às unidades para que denunciem à Polícia Militar (telefone 190) ou à Guarda Municipal (153) caso percebam alguma situação suspeita de vandalismo e/ou furto em estações e reservatórios da autarquia. As forças de segurança trabalham 24 horas por dia, sete dias por semana.

Rua José Lemos, em Cezar de Souza, ficará interditada de segunda a sábado para obra de esgoto

De 29 de novembro a 23 de dezembro, a rua José Lemos, em Cezar de Souza, ficará interditada das 7h às 17h, no trecho entre a avenida Vereador Dante Jordão Stoppa e rua Nilo Garcia Alabarce. O fechamento será de segunda a sábado, para obras de melhoria na rede de esgoto local. O Semae fará uma substituição da tubulação, num trecho de 190 metros, incluindo aumento de diâmetro. A mudança, aliada à ampliação do bombeamento da estação elevatória do Jardim das Bandeiras, proporcionará melhor eficiência ao sistema.

Com a interdição de segunda a sexta, os ônibus das linhas C-502 (Cezar de Souza via Dante Jordão Stoppa), E-506 (Morada do Sol), E-511 (Rio Acima) e E-512 (Vila Aparecida), deverão, a partir da avenida Dante Jordão Stoppa, seguir pelas avenidas Nellusco Lourenço Boratto e Ricieri José Marcatto, ruas Dr. Rômulo Pasqualini e Izabel Mota da Silva, e retomar o trajeto original.

Semae instala equipamento para tratamento de esgoto no Parque Leon Feffer

O Semae iniciou, nesta quinta-feira (05/10), a operação de um biodigestor destinado ao processamento de matéria orgânica para tratamento de esgoto, no Parque Leon Feffer. O equipamento atenderá a base da Polícia Ambiental instalada no parque. O início da operação foi acompanhado pelo diretor-geral da autarquia, Francisco Cochi Camargo, pelos diretores Anderson Amorim (Departamento de Esgoto) e Sílvio Kinukawa (Departamento Técnico) e pelo assessor de Planejamento Estratégico Marcelo Prestes, além de outros representantes do Semae.

Também estiveram presentes o capitão Daniel Jatobá, comandante da 3ª Companhia da Polícia Militar Ambiental, responsável pela região do Alto Tietê, e o tenente Edson Alves de Lima, comandante do 2º Pelotão da Polícia Militar Ambiental, que atua em Mogi das Cruzes. Eles agradeceram o atendimento, que já aguardavam há mais de 8 anos.

“O biodigestor foi adquirido pelo Semae e proporcionará uma melhor destinação dos resíduos no parque. Agradeço à Polícia Ambiental, pela parceria, e aos técnicos da autarquia que fizeram um importante trabalho de pesquisa para solução definitiva para o esgoto neste local, conforme determinação do prefeito Caio Cunha, que não queria algo apenas paliativo”, destacou Cochi.

O biodigestor pode ser instalado em casas, empresas, condomínios, chácaras, sítios, fazendas etc. O esgoto afluente entra pelo tubo e é levado até a parte inferior do tanque, onde as partículas sólidas ficam depositadas.

Em seguida, ocorre a separação entre a parte sólida (que é decantada) e a parte líquida, que é conduzida até o filtro anaeróbio, seguindo um fluxo ascendente. A parte sólida retida entra em processo de digestão biológica por meio dos microrganismos presentes no próprio material coletado.

Este sistema é o único no mercado que une quatro benefícios no mesmo aparelho. Ele substitui o tanque séptico e o filtro anaeróbio, além de aumentar a eficiência do tratamento. Composto por microrganismos que aceleram o processo de degradação da matéria orgânica, o equipamento trata efluentes de maneira segura e ecologicamente correta, eliminando a contaminação do solo e, consequentemente, dos corpos d’água.

Semae registra três furtos de cabos e equipamentos em estações de esgoto e trabalha para reparar danos

O Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) registrou três casos de furtos de cabos e equipamentos em estações elevatórias de esgoto desde o final de semana. Os casos aconteceram no dia 21 de setembro, na Estação localizada na rua Olavo Bilac, 101 (Vila São Paulo); no dia 22 de setembro, na Estação localizada na rua Catarina Carrera Marcatto, s/nº (Cezar de Souza); e no dia 23 de setembro, na avenida Francisco Rodrigues Filho, 8201 (Botujuru). Foram registrados boletins de ocorrência para todos os casos e os técnicos da autarquia trabalham atualmente para reparar os danos, buscando normalizar a prestação de serviços à população. 

As três unidadas contam com alarme, monitoramento e ronda móvel. De acordo com o Semae, a ronda e a Polícia Militar foram acionadas e constataram os furtos. Ninguém foi capturado, mas foram encontradas no local ferramentas que, provavelmente, foram utilizadas pelos criminosos.

Os furtos incluíram cabos e equipamentos utilizados no sistema de automação das estações. Esses sistemas são projetados de acordo com as especificações de cada unidade, portanto, precisam ser encomendados – não são produtos fabricados em larga escala, o que facilitaria sua reposição. Mesmo assim, no final de semana o Departamento de Manutenção de Esgoto conseguiu retomar de forma paliativa o funcionamento da estação do Botujuru.

Nos casos das estações de Cezar de Souza e Sabaúna, o Semae atualmente está fazendo um orçamento dos itens que precisam ser adquiridos, para em seguida realizar um processo de aquisição. Enquanto esse processo acontece, podem ocorrer extravasamentos pontuais, uma vez que o sistema de bombeamento de esgoto não vem operando em sua capacidade operacional plena.

O diretor-geral do Semae, Francisco Cochi Camargo, lamenta as ocorrências e afirma que as equipes técnicas da autarquia foram orientadas a trabalhar para normalizar a situação o mais rápido possível: “São pequenos furtos, mas que que causam grandes prejuízos para o funcionamento do sistema e que acabam afetando muitas pessoas. Estamos atuando para repor as peças e retomar a operação do sistema com o máximo de celeridade possível”, afirmou.

Rua Lara é interditada para obra de coletor de esgoto

A partir desta quarta-feira (09/08), a rua Lara, na área central, ficará interditada em toda a sua extensão para as obras do coletor-tronco de esgotos Parque da Cidade, que estão em andamento na região. A previsão é de que o bloqueio seja mantido até 27 de agosto. No período, será permitido apenas o trânsito local (para quem mora ou trabalha no trecho interditado).

Para o motorista que estiver na rua Ipiranga, a alternativa para acesso à Dr. Deodato Wertheimer serão as ruas Joaquim Fabiano de Melo e depois a Nilo Peçanha ou Carmem de Moura Santos.

Quem estiver na Francisco Afonso de Melo, em direção ao centro, as opções são as ruas Maninha Guimarães e Professor Benedito Leôncio Arouche de Toledo, para acesso à Jardelina de Almeida Lopes.

A partir da Maninha Guimarães e Professor Benedito Leôncio, há também a opção da rua Antônio Bento de Souza, que faz a ligação com a Maria Antonieta Melo Freire Conceição e, na sequência, com a avenida Henrique Eroles.
 

A obra
O coletor, que está sendo construído pelo Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae), atenderá mais de 4.400 moradores da região da Praça Deputado Paulo Kobayashi (conhecida como Praça do Oito), no Parque Santana. O investimento total será de R$ 1.053.129,89, sendo R$ 740.423,95 em recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro) e contrapartida de R$ 312.705,94 da autarquia.

O projeto prevê a implantação de 1.060 metros de coletor, da Praça do Oito até um ponto da rua Lara, onde se conectará ao sistema existente e que encaminha o esgoto coletado para tratamento na estação da Sabesp, em Suzano.

Rua Ipiranga terá trecho interditado para manutenção de esgoto, na noite desta terça (01)

A partir das 22h desta terça-feira (01/08), o Semae fará uma manutenção na rede de esgoto, próximo ao encontro com a Major Arouche de Toledo, no Centro. A previsão é concluir o reparo na madrugada ou início da manhã de quarta (02). No período de obras, os veículos de passeio que trafegarem pela Ipiranga terão a alternativa das ruas Capitão Paulino Freire e Senador Dantas. Ônibus e caminhões deverão utilizar a rua Braz Cubas ou a Dr. Deodato Wertheimer.

Jardim Bela Vista
No período de 2 a 22 de agosto, duas ruas do Jardim Bela Vista, em Cezar de Souza, ficarão interditadas para melhorias no sistema de bombeamento de esgoto do bairro. Os bloqueios serão nas avenidas Huber Warco (entre a rua Carmelina Moraes da Rocha e avenida Kennedy) e Kennedy (entre a rua Manoel de Deus Pinto e avenida Huber Warco). As opções de desvio serão as ruas Carmelina Moraes da Rocha e Manoel de Deus Pinto. 
 

Texto atualizado em 01/08/2023, às 16h40

Tarifa de água e esgoto será reajustada em 11,02%, a partir de 1º de agosto; valor continua o menor da região

As faturas de água e esgoto em Mogi das Cruzes serão reajustadas em 11,02%, a partir de 1º agosto de 2023. A atualização é necessária para o equilíbrio econômico e financeiro do Semae – devido ao aumento dos preços de insumos, encargos e serviços utilizados pela autarquia no atendimento aos consumidores – e manter as condições de atingir às metas estabelecidas pelo Novo Marco do Saneamento: 99% da população com água tratada e 90% com coleta e tratamento de esgoto até 2033.

“Para atendermos ao Novo Marco do Saneamento serão necessários grandes investimentos. Já temos índices satisfatórios, como o fornecimento de água tratada a 99% da área urbana e coleta de 94% de esgoto, com 59% de tratamento, mas precisamos melhorar, ampliando o aporte de recursos em obras e na modernização das nossas redes de água para reduzir perdas”, afirma o diretor-geral do Semae, Francisco Cochi Camargo.

“Além do Marco do Saneamento, há outros compromissos legais a serem cumpridos nos próximos dez anos, como um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público que prevê obras para a universalização do atendimento, também até 2033. Com esses compromissos, tanto do Marco Legal quanto do TAC, o Semae precisa investir algo em torno de R$ 70 milhões por ano”, explica Cochi.

“O Semae também tem uma dívida de R$ 57 milhões com a Prefeitura. A dívida é por obras de saneamento contratadas e pagas pela Prefeitura com recursos de empréstimos federais, cujos valores são ressarcidos pela autarquia, em 50% do total. Deste montante, são R$ 37 milhões de obras realizadas no passado, a serem quitados em 15 anos (de 2023 a 2037), e outros R$ 20 milhões de empréstimos atuais, também de obras realizadas com recursos federais”, completa.

De acordo com o Departamento Financeiro da autarquia, os dois pagamentos à Prefeitura somam R$ 408 mil mensais.

O motivo do ressarcimento é que quando obras de saneamento são realizadas com financiamento do Governo Federal, o contrato é feito com a Prefeitura, que deve pagar o empréstimo e receber o ressarcimento do Semae.

Uma lei de 2017 estabeleceu o ressarcimento integral, em 10 anos. Mas, após uma renegociação realizada entre a autarquia e a Prefeitura em 2022, ficou estabelecido o pagamento de 50% da dívida restante, em 15 anos, contados a partir de 2023.


Recursos não onerosos
A equipe técnica do Semae vem conseguindo aprovar projetos para captação de recursos em importantes órgãos que fomentam investimentos, sobretudo recursos não onerosos, que são aqueles destinados a um município ou autarquia sem que isso gere uma dívida de financiamento.

Nos últimos anos, a aprovação das propostas apresentadas pelo Semae a órgãos como o Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro) e a Agência da Bacia do Rio Paraíba do Sul (Agevap) já garantiu R$ 38,5 milhões – com algumas das obras já em andamento. Se somadas as contrapartidas da autarquia, o montante supera os R$ 45 milhões.

“Para conseguirmos esses recursos, houve um exímio trabalho de nosso Departamento Técnico. E nesse processo, órgãos como a Fundação Agência da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê (Fabhat), o Comitê da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê (CBH-AT) e o Fehidro têm sido grandes parceiros, mas isso ainda é insuficiente para atingirmos às metas”, destaca o diretor-geral.


Menor tarifa da região
Mesmo com o reajuste, o valor da conta de água e esgoto em Mogi das Cruzes segue o menor de todo o Alto Tietê. Considerando apenas a primeira faixa de consumo, que vai até 10 mil litros de água por mês, a tarifa paga pelos mogianos passará a ser de R$ 51,52 (R$ 28,63 de água e R$ 22,89 de esgoto), cerca de 28% menor que nas demais cidades da região, onde se cobra R$ 71,70 (R$ 35,85 de água e R$ 35,85 de esgoto), considerando a mesma categoria e volume consumido.

Nesta faixa de consumo, que concentra mais da metade (53%) dos clientes do Semae, a atualização da tarifa representará R$ 5,11 a mais, passando de R$ 46,41 para R$ 51,52 (água e esgoto).

Também considerando esta faixa de consumo residencial, a nova tarifa de R$ 51,52, já reajustada, é menor até que a fatura que já vinha sendo cobrada nas demais cidades do Alto Tietê mesmo antes da correção de 2023 – o valor cobrado era de R$ 65,44.

Obras de coletor de esgoto avançam no Parque Santana

As obras do Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) para construção do coletor-tronco de esgotos Parque da Cidade avançam com assentamento das tubulações. O coletor atenderá mais de 4.400 moradores da região da Praça Deputado Paulo Kobayashi (conhecida como Praça do Oito), no Parque Santana. O investimento total será de R$ 1.053.129,89, sendo R$ 740.423,95 em recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro) e contrapartida de R$ 312.705,94 da autarquia.

O projeto prevê a implantação de 1.060 metros de coletor, da Praça do Oito até um ponto da rua Lara, onde se conectará ao sistema existente e que encaminha o esgoto coletado para tratamento na estação da Sabesp, em Suzano.

Além do coletor, outros investimentos importantes estão sendo realizados no município com recursos do Fehidro. Nos últimos anos, a aprovação das propostas apresentadas pelo Semae já garantiu R$ 35,6 milhões.

Entre as obras, estão a ampliação da automação, telemetria (controle das unidades de abastecimento por comunicação sem fio) e telesupervisão, com foco em coleta de dados para controle e redução de perdas de água no sistema de distribuição, num investimento de R$ 3 milhões, dos quais R$ 2,6 milhões vieram do Fehidro.

Estão em andamento as obras para instalação do sistema de esgotamento sanitário no Parque das Varinhas. O investimento total será de R$ 11,8 milhões e beneficiará quase 3 mil moradores do bairro, que fica no distrito de Jundiapeba.

Do total que será investido, R$ 10,5 milhões são do fundo estadual e mais R$ 1,3 milhão da própria autarquia, como contrapartida.

Para obras futuras, mas já com recursos garantidos, estão o sistema de esgotamento sanitário no Parque São Martinho (R$ 11,6 milhões) e do Jardim Nove de Julho (R$ 12,8 milhões), também no distrito de Jundiapeba.

Além do fundo estadual, o Semae também obteve R$ 2,9 milhões da Agência da Bacia do Rio Paraíba do Sul (Agevap), por meio do Programa de Tratamento de Águas Residuárias (Protratar), para implantação de sistema de esgotamento sanitário na Vila Mathias, em Sabaúna. O processo está em fase de análise de documentos na Caixa Econômica Federal.

Obra de esgoto interditará faixas da Mogi-Dutra da noite desta sexta (02/06) à tarde de sábado (03)

A partir das 22h desta sexta-feira (02/06), o Semae fará uma obra de interligação na rede de esgoto no início da rodovia Mogi-Dutra, altura dos bairros Jardim Aracy e Itapeti. De sexta para sábado, das 22h às 7h, será necessário fechar uma faixa da pista sentido Arujá/São Paulo. Na sequência o bloqueio será de uma faixa no sentido Mogi das Cruzes, até por volta das 17h. No período de obras, os veículos poderão circular normalmente pela outra faixa da pista.

Interligação na rede de esgoto na Mogi-Dutra:
Das 22h de sexta (02/06) às 7h de sábado (03/06):
 interdição de uma faixa na pista sentido Arujá/São Paulo
Das 7h às 17h de sábado (03/06): interdição de uma faixa na pista sentido Mogi das Cruzes