Atualize seu cadastro!

Para ter acesso à todos os serviços online, precisamos que seu cadastro esteja atualizado. Clique aqui

Coletor de esgotos começa a ser implantado na região do Oropó

Um coletor de esgotos de 2,6 quilômetros de extensão começou a ser implantado esta semana no Oropó. A obra, que atenderá os imóveis da avenida Kaoru Hiramatsu, é executada por meio de uma contrapartida da iniciativa privada para a implantação de novas unidades habitacionais naquela região. O assentamento da tubulação é acompanhado e fiscalizado pelo Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae), que assumirá a operação do sistema após a conclusão dos trabalhos.

Além dos 2,6 quilômetros de coletor, o projeto também contempla a construção de 49 poços de visita, que são os pontos de acesso à rede para futuras inspeções e manutenções. O esgoto coletado na região será encaminhado para tratamento na estação da Sabesp, em Suzano.

O coletor Oropó integrará uma estrutura mais ampla, a dos coletores-tronco na bacia do rio Jundiaí, cujos estudo de concepção e projeto básico estão em fase final de elaboração. Além do coletor Oropó, o projeto será para implantação dos coletores-tronco Jundiaí, e Santo Ângelo, passando pelos distritos de Jundiapeba e Braz Cubas.

A instalação dos coletores poderá possibilitar a desativação das estações elevatórias de esgoto bruto Indonésia, Andiroba, Oceania, Tanzânia e Sapucaia, diminuindo o custo de operação do sistema de esgotamento sanitário do município.

Os coletores Jundiaí, Oropó e Santo Ângelo visam ao atendimento dos bairros Vila Jundiaí, Jardim Planalto, Residencial Cambuci, Residencial Mirage, Jardim Aeroporto, Jardim Layr, Jardim Santos Dumont, Conjunto Santo Ângelo, Porteira Preta, Conjunto Oropó, Vila Moraes e Conjunto São Sebastião.

A população na área de abrangência é de 13 mil pessoas, mas a capacidade futura (considerando o crescimento populacional da região) é para 25 mil moradores.

Após a elaboração do projeto básico, a Prefeitura e o Semae buscarão recursos externos para as obras.

Manutenção em coletor de esgotos interditará trecho da Cabo Diogo, nesta terça (26)

Nesta terça-feira (26/04), o Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) fará uma manutenção emergencial no coletor de esgotos da rua Cabo Diogo Oliver. O trabalho exigirá a interdição da via, no trecho entre as ruas Casarejos e Salvador Cabral, no período das 8h às 22h.

No sentido bairro-centro, os ônibus das linhas E805, E892, E893, E894, E895 e E896 terão desvio de itinerário pela rua Casarejos, avenida José Moreira Filho, avenida Francisco Rodrigues Filho e rua Dr. Deodato Wertheimer, voltando para a Cabo Diogo Oliver, de onde seguirá o trajeto regular.

Os veículos menores poderão seguir pela rua Casarejos e desviar pela rua Fidalgo, para acesso à Salvador Cabral, ou pela rua José Alves dos Anjos, que possibilita o acesso à Américo Rodrigues.

No sentido centro-bairro, não serão necessários desvios ou alterações no itinerário das linhas de ônibus ou no trânsito de veículos.

Semae garante recursos para coletor de esgoto no Parque Santana; investimento previsto será de R$ 1 milhão

O Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) garantiu recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro) para construção de um coletor-tronco de esgotos, que atenderá mais de 4.400 moradores da região da Praça Deputado Paulo Kobayashi (conhecida como Praça do Oito), no Parque Santana. O contrato com o Fehidro, recém-assinado, garante um repasse de R$ 882.281,26, via Banco do Brasil. O investimento total previsto será superior a R$ 1 milhão – incluindo a contrapartida da autarquia, de R$ 126.244,11.

O projeto prevê a implantação de 1.060 metros de coletor, da Praça do Oito até um ponto da rua Lara, onde se conectará ao sistema existente e que encaminha o esgoto coletado para tratamento na estação da Sabesp, em Suzano.

Com a assinatura do contrato entre o Semae e o Fehidro, o próximo passo é o envio de um projeto de lei à Câmara Municipal que autorize o recebimento dos recursos, e posterior abertura do processo de licitação que definirá a empresa responsável pela execução da obra.

O prazo de construção do coletor será de 12 meses, contados após a liberação da primeira parcela do financiamento, que deve ocorrer depois do processo licitação, assinatura de contrato com a empresa vencedora e aprovação de todo processo licitatório pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) e Banco do Brasil.

O projeto do novo coletor foi aprovado pelas câmaras técnicas do Comitê da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê, pela Cetesb e Banco do Brasil, culminando na assinatura do contrato.

Automação
Outro projeto do Semae para execução com recursos do Fehidro, que já está com a licitação concluída, é a ampliação da automação, telemetria e telesupervisão do sistema de abastecimento de água da cidade, com foco em coleta de dados para controle e redução de perdas.

O investimento será de pouco mais de R$ 3 milhões, sendo R$ 2,6 milhões do fundo estadual e R$ 455 mil de contrapartida. Atualmente, a autarquia aguarda a liberação da primeira parcela para emissão da ordem de serviço.