Atualize seu cadastro!

Para ter acesso à todos os serviços online, precisamos que seu cadastro esteja atualizado. Clique aqui

Semae é representado em treinamento da Fundação Nacional de Saúde

O Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) de Mogi das Cruzes foi representado no mais recente treinamento promovido pela Superintendência de São Paulo da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) para apresentação do manejo e operação da Unidade Móvel de Controle da Qualidade da Água – um laboratório móvel onde podem ser realizadas análises de parâmetros básicos.

O encontro, realizado na Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa) de Campinas, no final de novembro, foi uma troca de experiências e atualização de técnicos da área de tratamento de água, com relação à implantação das boas práticas, manutenção e limpeza de laboratório e análises laboratoriais de campo.

O treinamento foi ministrado pelo farmacêutico-bioquímico da Funasa, Osman de Oliveira Lira.

A autarquia de Mogi das Cruzes foi representada pelo encarregado de Controle de Qualidade do Tratamento de Água, Ivan Santos de Jesus. “A reunião técnica contribuiu para o aperfeiçoamento dos conhecimentos, tanto em relação às análises físico-químicas, quanto às bacteriológicas, ambas fundamentais para a verificação e controle da qualidade da água distribuída pelo Semae”, avalia o encarregado.

Houve também uma discussão sobre alguns artigos e parâmetros da nova Portaria 888/2021, do Ministério da Saúde, que define os procedimentos de garantia da qualidade da água para o consumo humano.

“Tratamos ainda da biossegurança relacionada ao ambiente de laboratório, tema fundamental quando manipulamos amostras de água bruta que possam conter patogênicos e causar danos à saúde dos técnicos que realizam os ensaios bacteriológicos”, destaca Ivan.

Na avaliação do encarregado, o treinamento também contribuiu para estabelecer uma aproximação entre o município de Mogi das Cruzes e a Funasa.

Semae amplia pontos de coleta de amostras da qualidade da água; autarquia faz quase 26 mil análises mensais

A água que é distribuída pelo Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) à população de Mogi das Cruzes passa diariamente por rigorosos testes e análise de qualidade. E para melhorar ainda mais o controle, em 2022 a autarquia ampliou o número de pontos de coleta de amostras, que passaram de cerca de 250 para 287 endereços cadastrados, o que resulta em aproximadamente 400 coletas mensais. Somadas as análises feitas em laboratórios, nas estações de tratamento e redes de distribuição, são quase 25,9 mil procedimentos, todos os meses.

O aumento dos pontos de coletas foi possível com a inserção de creches, escolas e inclusão de mais unidades básicas de saúde e hospitais na lista de endereços.

O Semae (assim como outras companhias de saneamento do País) segue os parâmetros da Portaria 888/2021, do Ministério da Saúde, que define os procedimentos de garantia da qualidade da água para o consumo humano. Publicada no ano passado, a norma regulamentadora tornou o processo de controle ainda mais rigoroso ao estabelecer mais parâmetros para análise, como os agrotóxicos, por exemplo.

As análises são feitas nas Estações de Tratamento do Centro (12,5 mil por mês), Leste (8,5 mil) e dos núcleos urbanos isolados (2 mil). As duas primeiras unidades são responsáveis pela maior parte da água consumida pela população da cidade.

Na rede de distribuição, os testes são realizados pela coleta de amostras nos imóveis das áreas abastecidas pela ETA Centro (1,6 mil análises mensais, incluindo a rede que distribui água por meio do reservatório da Sabesp, em Braz Cubas), ETA Leste (580) e núcleos isolados (720) – a estrutura dos sistemas isolados é composta por poços (captação), casas de química e filtros (tratamento da água), reservatórios e redes (distribuição).

As análises da água são realizadas de duas em duas horas e cada etapa do tratamento é monitorada. Os técnicos controlam os produtos químicos empregados e os efeitos que eles produzem na água.

Existem pontos de coleta nas etapas do tratamento. Assim, é possível verificar, a qualquer hora do dia, como está a água de cada fase do processo, como nos filtros e decantadores (tanques utilizados para remoção de partículas).


Número de análises mensais da qualidade da água:
ETA Centro: 12.500
ETA Leste: 8.500
ETAs Núcleos Isolados: 2.000
Total nas ETAs: 23.000

Rede Centro: 1.600
Rede Leste: 580
Rede dos núcleos isolados: 720
Total nas redes: 2.900

Total Geral: 25.900

Para manter qualidade da água, Semae fará limpeza de reservatórios

Para manter a qualidade da água distribuída à população, o Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) fará, neste mês de junho, a limpeza de reservatórios instalados em quatro pontos da cidade. Para realizar o serviço, será necessário interromper o abastecimento e a autarquia reforça a orientação para que os moradores economizem água, evitando a lavagem de carros e quintais e o desperdício em tarefas domésticas essenciais como a lavagem de louças e de roupas, além de reduzir o tempo de banho. O procedimento também atende à legislação sanitária.

Os serviços serão realizados nos reservatórios de Taiaçupeba, Botujuru, Parque Morumbi e Vila Rei, totalizando nove bairros em área de abrangência (veja relação abaixo)

“Assim como em nossa casa devemos fazer a limpeza periódica da caixa d’água, o Semae faz a limpeza dos reservatórios para garantir a boa qualidade da água que distribuímos. O período de limpeza dura cerca de oito horas e para quem tem caixa d’água a rotina não é afetada”, explica a diretora do Departamento de Operações do Sistema de Água, Milena Forte.

Ter caixa d’água é fundamental para evitar transtornos durante os trabalhos de manutenção da rede ou outras intervenções que exigem a interrupção do abastecimento.

A reserva de 200 litros para cada morador é suficiente. Assim, uma casa com cinco pessoas deve ter uma caixa com capacidade para mil litros. Isso garante o abastecimento da residência por até 24 horas sem fornecimento de água da rua. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 115.



PROGRAMAÇÃO DE LIMPEZA DE RESERVATÓRIOS

06/06 (segunda-feira)
Reservatório de Taiaçupeba
Abrangência: Taiaçupeba, Jardim Fukamizu e Chácara Santa Lúcia
Período de limpeza: das 4h às 12h
Normalização do abastecimento: à noite

14/06 (terça-feira)
Reservatório do Botujuru
Abrangência: Botujuru e Vila São Paulo
Período de limpeza: das 4h às 12h
Normalização do abastecimento: à noite

21/06 (terça-feira)
Reservatório da Vila Rei
Abrangência: Vila Rei e Mogi Moderno (parcial)
Período de limpeza: das 4h às 12h
Normalização do abastecimento: madrugada do dia 22/06 (quarta-feira)

28/06 (terça-feira)
Reservatório do Parque Morumbi
Abrangência: Parque Morumbi e Conjunto São Sebastião
Período de limpeza: das 4h às 12h
Normalização do abastecimento: madrugada do dia 29/06 (quarta-feira)


Fonte: Departamento de Operações do Sistema de Água do Semae
 

Autarquia realiza quase 26 mil análises mensais na água distribuída à população

Para manter a qualidade da água consumida pela população de Mogi das Cruzes, o Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) realiza uma média de 25,9 mil análises mensais. Estes procedimentos ocorrem no processo de produção e na distribuição – são 23 mil testes de qualidade nas estações de tratamento e outros 2,9 mil em diversos pontos da rede de abastecimento.

A autarquia mogiana (assim como outras companhias de saneamento do País) segue os parâmetros da Portaria de Consolidação nº 5, do Ministério da Saúde, que define os procedimentos de garantia da qualidade da água para o consumo humano.

“Isso exige uma série de análises para que a população receba diariamente água potável e com boa qualidade “, afirma Milena Forte, engenheira química e diretora do Departamento de Operações do Sistema de Água do Semae.

As análises são feitas nas Estações de Tratamento do Centro (12,5 mil por mês), Leste (8,5 mil) e dos núcleos urbanos isolados (2 mil). As duas primeiras unidades são responsáveis pela maior parte da água consumida pela população da cidade.

Na rede de distribuição, os testes são realizados pela coleta de amostras nos imóveis das áreas abastecidas pela ETA Centro (1,6 mil análises mensais, incluindo a rede que distribui água por meio do reservatório da Sabesp, em Braz Cubas), ETA Leste (580) e núcleos isolados (720) – a estrutura dos sistemas isolados é composta por poços (captação), casas de química e filtros (tratamento da água), reservatórios e redes (distribuição).

As análises da água são realizadas de duas em duas horas e cada etapa do tratamento é monitorada. Os técnicos controlam os produtos químicos empregados e os efeitos que eles produzem na água.

Existem pontos de coleta nas etapas do tratamento. Assim, é possível verificar, a qualquer hora do dia, como está a água de cada fase do processo, como nos filtros e decantadores (tanques utilizados para remoção de partículas sólidas).

Da conta que é enviada aos clientes do Semae, constam os parâmetros de qualidade analisados pela autarquia. Também é possível acompanhar os relatórios mensais que são disponibilizados no Portal da Transparência, no endereço http://www.transparenciasemae.pmmc.com.br/analise-de-qualidade-da-agua, com dados sobre cloro, turbidez e flúor, entre outros, conforme exigido pela legislação.


NÚMERO DE ANÁLISES MENSAIS DA QUALIDADE DA AGUA:

ETA Centro: 12.500
ETA Leste: 8.500
ETAs Núcleos Isolados: 2.000
Total nas ETAs: 23.000

Rede Centro: 1.600
Rede Leste: 580
Rede Isolados: 720
Total nas redes: 2.900

Total Geral: 25.900