Atualize seu cadastro!

Para ter acesso à todos os serviços online, precisamos que seu cadastro esteja atualizado. Clique aqui

Obras de esgotamento sanitário avançam no Parque das Varinhas

As obras do Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) para instalação do sistema de esgotamento sanitário no Parque das Varinhas avançam com a implantação de redes e do coletor-tronco. O investimento total será de R$ 11,8 milhões e beneficiará quase 3 mil moradores do bairro, que fica no distrito de Jundiapeba. Do total que será investido, R$ 10,5 milhões são recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro), após aprovação de projeto elaborado pelo Semae, e mais R$ 1,3 milhão da própria autarquia, como contrapartida.

Até o momento, a instalação das redes ultrapassa os 20% de execução. No caso do coletor, supera os 30%.

O projeto prevê a implantação de aproximadamente 11,4 quilômetros de redes coletoras; 164 poços de visita; 127 poços de inspeção e 4 estações elevatórias (bombeamento) de esgoto, beneficiando 2.800 pessoas – mas a estrutura terá capacidade para atender até 5 mil moradores.

O sistema também terá 2,8 quilômetros de rede de recalque (tubulação que conduz os efluentes por meio de bombeamento); 3,4 quilômetros de coletor-tronco; 502 ramais de ligação e 49 sistemas individuais de tratamento de esgotos.

O complexo será interligado à elevatória do Jardim Santos Dumont III, de onde o esgoto será encaminhado para tratamento na estação da Sabesp, em Suzano.

O prazo previsto para as obras é dois anos.
 

Núcleos isolados
O Parque das Varinhas é um dos bairros que integram o projeto de sistemas de esgotamento sanitário em núcleos isolados. Os demais núcleos pleiteados serão Biritiba-Ussu, Chácaras Guanabara, Jardim Nove de Julho, Parque São Martinho, Quatinga, Taiaçupeba e Vila Mathias (Sabaúna).

O investimento – na elaboração dos projetos para todos os oito núcleos – é de R$ 5,7 milhões, sendo R$ 4,6 milhões do Governo Federal e R$ R$ 1,1 milhão do Município. Nesta etapa, estão sendo feitos os estudos para, posteriormente, o Semae buscar recursos para as obras, tal como ocorreu para o Parque das Varinhas.

Em Mogi das Cruzes, um núcleo isolado que já conta com sistema de coleta e tratamento de esgoto é a Vila Andrade, em Sabaúna.

Semae inicia obras de coleta e tratamento de esgoto no Parque das Varinhas

O Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) iniciou a implantação do sistema de coleta e tratamento de esgoto no Parque das Varinhas. O investimento será de R$ 11,8 milhões e beneficiará quase 3 mil moradores do bairro, que fica no distrito de Jundiapeba. Do total que será investido, R$ 10,5 milhões são recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro), após aprovação de projeto elaborado pelo Semae, e mais R$ 1,3 milhão da própria autarquia, como contrapartida.

O projeto prevê a implantação de aproximadamente 11,4 quilômetros de redes coletoras; 164 poços de visita; 127 poços de inspeção e 4 estações elevatórias (bombeamento) de esgoto, beneficiando 2.800 pessoas – mas a estrutura terá capacidade para atender até 5 mil moradores.

O sistema também terá 2,8 quilômetros de rede de recalque (tubulação que conduz os efluentes da elevatória até um ponto a partir do qual possa seguir por gravidade até uma unidade de tratamento); 3,4 quilômetros de coletor-tronco; 502 ramais de ligação e 49 sistemas individuais de tratamento de esgotos.

O complexo será interligado à elevatória do Jardim Santos Dumont III, de onde o esgoto será encaminhado para tratamento na estação da Sabesp, em Suzano.

O prazo previsto para as obras é dois anos.

Núcleos isolados

O Parque das Varinhas é um dos bairros que integram o projeto de sistemas de esgotamento sanitário em núcleos isolados, que está em fase final de elaboração pela autarquia. Os demais núcleos contemplados serão Biritiba-Ussu, Chácaras Guanabara, Jardim Nove de Julho, Parque São Martinho, Quatinga, Taiaçupeba e Vila Mathias (Sabaúna).

O investimento – na elaboração dos projetos para todos os oito núcleos – é de R$ 5,7 milhões, sendo R$ 4,6 milhões do Governo Federal e R$ R$ 1,1 milhão do Município. Nesta etapa, estão sendo feitos os estudos para, posteriormente, o Semae buscar recursos para as obras, tal como ocorreu para o Parque das Varinhas.

Em Mogi das Cruzes, um núcleo isolado que já conta com sistema de coleta e tratamento de esgoto é a Vila Andrade, em Sabaúna.

Semae e Infraestrutura fazem entrega oficial de sistema de esgoto do Botujuru

A Prefeitura de Mogi das Cruzes, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e do Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae), concluiu o sistema de esgotamento sanitário do Botujuru. A entrega oficial foi realizada na manhã desta quinta-feira (21/07) pelo prefeito Caio Cunha e a vice, Priscila Yamagami Kähler, com o acionamento de uma das estações de bombeamento.

Para o pleno funcionamento do sistema, é necessário que os moradores construam as caixas de inspeção para posterior ligação na rede – funcionários do Departamento Comercial do Semae já iniciaram visitas às casas para passar as orientações (mais informações abaixo).

“A conclusão desta obra é algo muito significativo. O bairro esperava por isso há muitos anos. É uma conquista que não é nossa, mas dos moradores”, afirmou o prefeito. “Estamos muito felizes com esta entrega, que trará mais qualidade de vida para as pessoas”, completou a vice.

“O Semae está orientando a população quanto à construção das caixas de inspeção para fazermos as ligações das casas à rede. Dentro de duas semanas, pretendemos levar nossa Agência de Atendimento Móvel ao Botujuru para reforçar as orientações. O esgotamento sanitário é importante por ser uma questão de saúde pública e meio ambiente”, destacou o diretor-geral adjunto da autarquia, Michel Reche Beraldo.

A data e o endereço de atendimento da Agência Móvel serão divulgados com antecedência, garantindo amplo acesso aos interessados.

De acordo com a Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana, responsável pela obra, o sistema está 99% finalizado, restando apenas a ligação da energia elétrica de uma das estações de bombeamento, o que está previsto para ocorrer na próxima semana. A obra foi realizada pela Prefeitura e o Semae assume a operação do sistema.

Os secretários de Infraestrutura Urbana, Alessandro Silveira e Leila Alcântara (adjunta), detalharam o investimento e a obra. O investimento foi de R$ 37,3 milhões na implantação de 56 quilômetros de redes de esgoto, sete estações elevatórias, 4.000 metros de linhas de recalque (bombeamento) e 4.500 metros de coletores-tronco.

O sistema atende o Botujuru e parte de Cezar de Souza. O esgoto coletado será enviado para a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Leste, em Cezar de Souza.

“A obra representará um ganho muito grande de qualidade de vida para a população e é um grande marco para os moradores”, destacou Silveira. “Até 2020, 60% da obra havia sido concluída. A partir de 2021, finalizamos cinco estações elevatórias e o restante da rede”, explicou Leila.

No Conjunto Jefferson, em Cezar de Souza, o sistema já estava em operação desde 2019, quando o Semae interligou a rede de esgoto, o que possibilitou a desativação da estação de tratamento do bairro – os efluentes passaram a ser enviados para a ETE Leste, com utilização de uma estrutura mais moderna.

Também participaram da entrega os vereadores Marcos Furlan (presidente da Câmara), Edson Alexandre Pereira, o Edinho do Salão; Edson Santos; Johnross Lima; José Luiz Furtado; Juliano Botelho; Malu Fernandes; Maurino José da Silva, o Policial Maurino, Osvaldo Silva e Vitor Emori.

Caixa de inspeção
A caixa de inspeção de esgoto tem a função de fornecer acesso à tubulação, facilitando a manutenção e a desobstrução do ramal (ligação entre a rede e o imóvel). Deve ser construída na calçada (passeio).

Funcionários do Departamento Comercial do Semae iniciaram visitas às casas para passar as orientações.  A recomendação é que a caixa seja construída em 30 dias.

Para os imóveis já existentes, a ligação de esgoto não será cobrada – exceto para os imóveis que vierem a ser construídos no bairro após a implantação do sistema de esgotamento.

Tarifa
Após a vistoria final da autarquia, haverá inclusão da tarifa de esgoto, que será lançada em conta – esta tarifa se refere à cobrança do serviço de coleta e tratamento de esgoto, conforme tarifação dos serviços de abastecimento de água e de coleta de esgotos, estabelecida pelo Decreto Municipal nº 20.221/2021.

Regras que devem ser seguidas na construção da caixa de inspeção de esgoto:
• Não construa a caixa de inspeção com tijolo baiano. A construção deve ser feita com bloco, concreto ou pré-moldado, próximo à guia
• Utilize as dimensões 60 x 60 x 60 cm
• A caixa deve estar bem rebocada e limpa por dentro
• Construa a caixa de inspeção de esgoto nivelada na calçada
• É proibido lançar água de chuva e óleo na rede de esgoto (sujeito a multa)
• Não lacrar a tampa após a ligação (para eventuais manutenções futuras)

Dúvidas e mais informações pelo telefone 115

Prefeito assina ordem de início das obras de coleta e tratamento de esgoto no Parque das Varinhas

O prefeito de Mogi das Cruzes, Caio Cunha, assinou no sábado (04/06) a ordem de serviço para o início da implantação de um sistema de esgotamento sanitário no Parque das Varinhas. O investimento de R$ 11,8 milhões beneficiará quase 3 mil moradores do bairro, que fica no distrito de Jundiapeba – mas o sistema poderá atender até 5 mil pessoas.

Do total que será investido, R$ 10,5 milhões são recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro), após aprovação de projeto elaborado pelo Semae, e mais R$ 1,3 milhão da própria autarquia, como contrapartida.

O projeto prevê a implantação de aproximadamente 11,4 quilômetros de redes coletoras; 164 poços de visita; 127 poços de inspeção e 4 estações elevatórias (bombeamento) de esgoto, beneficiando 2.800 pessoas, a princípio.

O sistema também terá 2,8 quilômetros de rede de recalque (tubulação que conduz os efluentes da elevatória até um ponto a partir do qual possa seguir por gravidade até uma unidade de tratamento); 3,4 quilômetros de coletor-tronco; 502 ramais de ligação e 49 sistemas individuais de tratamento de esgotos.

“É uma conquista muito importante para as famílias desta região, que esperavam este avanço há muitos anos. A coleta e o tratamento de esgoto significam saúde, qualidade de vida pra quem vive aqui. Este projeto faz parte de um pacote de investimentos na área do saneamento. É mais dignidade para os mogianos,” destacou o prefeito.

O complexo será interligado à elevatória do Jardim Santos Dumont III, de onde o esgoto será encaminhado para tratamento na estação da Sabesp, em Suzano.

O prazo previsto para construção do sistema de esgoto Parque das Varinhas será de dois anos.

Núcleos isolados
O Parque das Varinhas é um dos bairros que integram o projeto de sistemas de esgotamento sanitário em núcleos isolados, que está em fase final de elaboração pela autarquia. Os demais núcleos contemplados serão Biritiba-Ussu, Chácaras Guanabara, Jardim Nove de Julho, Parque São Martinho, Quatinga, Taiaçupeba e Vila Mathias (Sabaúna).

O investimento – na elaboração dos projetos para todos os oito núcleos – é de R$ 5,7 milhões, sendo R$ 4,6 milhões do Governo Federal e R$ R$ 1,1 milhão do Município. Nesta etapa, estão sendo feitos os estudos para, posteriormente, o Semae buscar recursos para as obras, tal como ocorreu para o Parque das Varinhas.

Em Mogi das Cruzes, um núcleo isolado que já conta com sistema de coleta e tratamento de esgoto é a Vila Andrade, em Sabaúna.

Parque Santana
O Semae deve iniciar em junho a construção de coletor-tronco de esgotos que atenderá mais de 4.400 moradores da região da Praça Deputado Paulo Kobayashi (conhecida como Praça do Oito), no Parque Santana. O investimento total será de R$ 846.369,94, sendo R$ 740.423,95 também em recursos do Fehidro, e contrapartida de R$ 105.945,99 da autarquia.

O projeto prevê a implantação de 1.060 metros de coletor, da Praça do Oito até um ponto da rua Lara, onde se conectará ao sistema existente e que encaminha o esgoto coletado para tratamento na estação da Sabesp, em Suzano.

Semae investirá R$ 11,8 milhões em coleta e tratamento de esgoto no Parque das Varinhas, com recursos do Fehidro

O Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) iniciará a implantação de um sistema de esgotamento sanitário no Parque das Varinhas, distrito de Jundiapeba. O investimento será de R$ 11,8 milhões, sendo R$ 10,5 milhões em recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro), após aprovação de projeto elaborado pela autarquia, e mais R$ 1,3 milhão do próprio Semae, como contrapartida. A ordem de início dos trabalhos será assinada neste sábado (04/06).

O projeto prevê a implantação de aproximadamente 11,4 quilômetros de redes coletoras; 164 poços de visita; 127 poços de inspeção; 4 estações elevatórias (bombeamento) de esgoto; 2,8 quilômetros de rede de recalque (tubulação que conduz os efluentes da elevatória até um ponto a partir do qual possa seguir por gravidade até uma unidade de tratamento); 3,4 quilômetros de coletor-tronco; 502 ramais de ligação e 49 sistemas individuais de tratamento de esgotos.

O complexo será interligado à elevatória do Jardim Santos Dumont III, de onde o esgoto será encaminhado para tratamento na estação da Sabesp, em Suzano.

A população beneficiada será de 2.800 moradores, mas o sistema poderá atender até 5.000 pessoas – estará preparado, portanto, para o crescimento populacional do bairro.

O prazo previsto para construção do sistema de esgoto Parque das Varinhas será de dois anos. 
 

Núcleos isolados
O Parque das Varinhas é um dos bairros que integram o projeto de sistemas de esgotamento sanitário em núcleos isolados, que está em fase final de elaboração pela autarquia. Os demais núcleos contemplados serão Biritiba-Ussu, Chácaras Guanabara, Jardim Nove de Julho, Parque São Martinho, Quatinga, Taiaçupeba e Vila Mathias (Sabaúna).

O investimento – na elaboração dos projetos para todos os oito núcleos – é de R$ 5,7 milhões, sendo R$ 4,6 milhões do Governo Federal e R$ R$ 1,1 milhão do Município. Nesta etapa, estão sendo feitos os estudos para, posteriormente, o Semae buscar recursos para as obras, tal como ocorreu para o Parque das Varinhas.

Em Mogi das Cruzes, um núcleo isolado que já conta com sistema de coleta e tratamento de esgoto é a Vila Andrade, em Sabaúna.
 

Parque Santana
O Semae deve iniciar em junho a construção de coletor-tronco de esgotos que atenderá mais de 4.400 moradores da região da Praça Deputado Paulo Kobayashi (conhecida como Praça do Oito), no Parque Santana. O investimento total será de R$ 846.369,94, sendo R$ 740.423,95 também em recursos do Fehidro, e contrapartida de R$ 105.945,99 da autarquia.

O projeto prevê a implantação de 1.060 metros de coletor, da Praça do Oito até um ponto da rua Lara, onde se conectará ao sistema existente e que encaminha o esgoto coletado para tratamento na estação da Sabesp, em Suzano.

Sistema de esgotamento sanitário do Botujuru e Cezar de Souza entra em fase de testes

A Prefeitura de Mogi das Cruzes iniciou a fase de testes do sistema de esgotamento sanitário que atenderá o Botujuru e parte de Cezar de Souza. O investimento foi de R$ 37,3 milhões na implantação de 56 quilômetros de redes de esgoto, seis estações elevatórias, 4.000 metros de linhas de recalque (bombeamento) e 4.500 metros de coletores-tronco. A população beneficiada será de 35 mil pessoas (20 mil em Cezar de Souza e 15 mil no Botujuru).

Após a conclusão dos testes, por parte da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana, o sistema será gerenciado pelo Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae).

As novas redes, coletores e estações de bombeamento atenderão os bairros do Botujuru, Jardim São Pedro, Vila Nova Aparecida, Jardim das Bandeiras, Granja Anita e região do Conjunto Jefferson. O esgoto coletado nesses loteamentos será enviado para a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Leste, em Cezar de Souza.

No Conjunto Jefferson, o sistema já está em operação desde 2019, quando o Semae interligou a rede de esgoto, o que possibilitou a desativação da estação de tratamento do bairro – os efluentes passaram a ser enviados para a ETE Leste, com utilização de uma estrutura mais moderna.

ETE
Além da etapa de testes do esgotamento sanitário do Botujuru e parte de Cezar de Souza, a Prefeitura iniciou a ampliação da capacidade da ETE Leste, localizada ao lado do Parque Centenário. Com investimento de R$ 32,6 milhões (financiamento do Banco de Desenvolvimento da América Latina – CAF), o trabalho permitirá que a estação triplique sua capacidade de tratamento.

A iniciativa faz parte do eixo de saneamento do Programa Viva Mogi – uma marca da Prefeitura de Mogi das Cruzes que agrega valores permanentes, como a qualidade de vida da população e a reconexão dos cidadãos com o município. Esses conceitos serão levados para todas as obras estruturantes da cidade, em todos os distritos e bairros, transformando-se em uma marca da administração.