Atualize seu cadastro!

Para ter acesso à todos os serviços online, precisamos que seu cadastro esteja atualizado. Clique aqui

Semae inicia reforma e modernização do processo de tratamento de água na ETA Centro

30 mar 2022

Semae inicia reforma e modernização do processo de tratamento de água na ETA Centro

Obra incluirá reforma da estrutura e impermeabilização de filtros, trocas de válvulas e instalação de equipamentos de automação (Foto: Semae)

O Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) iniciou a primeira etapa das obras de melhorias no tratamento de água em sua principal estação, a ETA Centro. A autarquia reformará filtros, instalará uma linha de ar para retrolavagem e implantará a automação desse processo de retrolavagem. O objetivo é modernizar os procedimentos e prolongar a vida útil dos filtros, que são estruturas importantes para garantia da qualidade no tratamento. Os investimentos somam R$ 3,9 milhões e os trabalhos devem durar cerca de um ano.

A obra incluirá a reforma da estrutura e impermeabilização de filtros, trocas de válvulas de descarga e instalação de equipamentos de automação, como transmissores de nível, painéis de comando, infraestrutura de cabeamento e comunicação de dados, entre outros.

A ETA Centro é o principal sistema de produção de água do Semae e mantém o abastecimento de mais de 200 mil habitantes, que correspondem a cerca de 50% do consumo de água tratada no município.

A reforma dos filtros acompanha outras ações para melhorar a eficiência na operação da distribuição de água. No ano passado, também na ETA Centro, a autarquia concluiu a implantação de um novo sistema para aumentar a agilidade durante a limpeza dos decantadores (tanques utilizados para remoção de partículas).

O sistema era composto por três decantadores, com dois pontos de limpeza por jateamento cada um. Após as intervenções, passaram a ser cinco pontos por decantador.

Também em 2021, o Semae reformou outros seis filtros da ETA Centro, o que deu mais eficiência ao processo de produção e distribuição de água potável: as seis unidades tiveram um acréscimo na capacidade de tratamento, passando de 120 para 180 litros de água por segundo – um volume equivalente à capacidade média de tratamento de toda ETA Leste, no Socorro, por exemplo.

A reforma incluiu a substituição de ramais, difusores, crepinas (componentes para retenção de partículas sólidas) e demais elementos filtrantes, além de pintura própria para estruturas sujeitas a umidade constante.